Continho #2

Tem algumas histórias que a gente só consegue lembrar depois de um tempo. Algumas delas você ouviu de alguém, outras foram a sua mente fértil que inventou (mas você JURA de pés juntos que aconteceram) e tem aquelas que realmente fizeram parte de algum momento do seu passado. A de hoje é sobre a vendedora que cismou que você usava um tamanho maior.

É verão! Bom sinal! Já é tempo, de abrir o coração… E a carteira! (Se você não escuta Roupa Nova, não sabe o que está perdendo). Você precisa de uma saída de praia urgentemente. A questão é que você odeia comprar roupas de banho porque:

1) Você não usa com frequência;

2) As marcas surtaram completamente e acham que é legal cobrar R$ 300,00 em meio metro de “ticido”;

3) Você É MUITO chata e acha que nenhuma fica bem você.

Dessa vez você se anima um pouco, afinal, conseguiu perder 3 quilinhos e está se achando “a gostosa” para esse verão. Você entra na loja e já chega pedindo “Uma saída de banho P, por favor!”. A vendedora olha para você e você percebe o olhar de julgamento dela te dizendo “P? Cai na real, sua gorda!”. Relutante, ela te mostra o tamanho que você pediu e você se apaixona por um modelo coral, que vai combinar totalmente com tudo o que você já tem em casa. Perfeito!

Você prova e fica um pouquinho (bem pouquinho mesmo, MUITO POUCO) justo, você ri sem graça e diz que o modelo não te favoreceu. Ela manda um “querida, as saídas de praia precisam ser um pouco larguinhas, para ficar mais confortável”. Você se olha no provador e decide que ela tem razão, pedindo um “tamanho M, por favor”.

Ela volta com dois modelos, um M e um G. Sua cabeça surta e o seu primeiro impulso é discutir com ela. Contrariando a Lindsay Lohan em si mesma, você pega o M cautelosamente, desejando que ele fique bem no seu corpo. Ele não fica. Ainda um pouco apertado.

“Eu trouxe um G, querida”. Você olha para ela, mostrando os caninos e tentando sorrir. Você diz “Acho que o M ficou bom, não precisa do G”. Ela diz “tem certeza? Ainda me parece apertado.” Você pede licença, veste a sua roupa e se dirige ao caixa, se convencendo de que o M ficou PERFEITO! E que você “tá mesmo perdendo peso MUITO rápido, então vai ficar tudo bem”.

A vendedora/psicopata do peso/julgadora das gordurinhas invisíveis leva você até a porta da loja, te agradece e falsamente te deseja “um boa praia, você vai fazer sucesso”. Quase todos saíram felizes para sempre; ela conseguiu a venda e você se enganou por algumas horas. O final triste foi mesmo para a tal saída de praia coral, que continua guardada na sua gaveta de roupas de banho e NUNCA foi usada. Algo/Alguém sempre se dá mal, não é?

Beijos,

assinaturaemail

Anúncios